Author: Secretario do Povo

Alopecia Capilar [ Principais Causas, Sintomas e Como Tratar ]

A alopecia capilar é considerada uma preocupação, mesmo para quem não se considera vaidoso. Tem uma frase que diz que “Os cabelos são a moldura do rosto”.

Para provar isto, basta observarmos quanto as pessoas investem em tratamentos de beleza e saúde pensando em manter seus cabelos sedosos, com brilho e com uma aparência sempre saudável.

Então é natural que uma pessoa que está nesta situação de queda acentuada dos fios de cabelo, não se sinta bem e que isto acabe afetando a auto estima prejudicando além da saúde física o bem estar emocional

A alopecia capilar é uma doença que se caracteriza pela queda de grandes porções de cabelo, deixando falhas visíveis. Pode ocorrer no couro cabeludo (a mais comum), no bigode, na barba, sobrancelha e até mesmo em todo o corpo (casos mais raros).

Embora não seja considerada uma doença grave a alopecia capilar afeta muito a saúde emocional.

Suas causas variam e podem ser hormonais, genéticas entre outras.

O diagnóstico deve ser feito por um médico especialista pois o tratamento depende da causa e esta deve ser investigada.

Perdemos fios de cabelos diariamente e faz parte de um processo natural de renovação dos fios. Portanto para que haja uma suspeita de alopecia capilar você terá que observar se a quantidade de fios que estão caindo, aumentaram e são além do normal.

Principais tipos de alopecia capilar são

CapiFix

  • Alopecia Androgenética

Alopecia Androgenética

É um tipo que resulta de uma condição hereditária ou seja é uma herança de família. Pode ocorrer nas mulheres mas é bem mais comum entre os homens, chega a atingir 70% dos homens.

  • Alopecia Areata

Alopecia Areata

É um tipo autoimune que atinge exclusivamente os folículos capilares, afetando a raiz. Pode atingir não somente o couro cabeludo como todas as partes do corpo que possuem pelos.

Geralmente este tipo surge em decorrência de doenças auto imune como diabetes, vitiligo, renites, lúpus, problemas na tireoide e outros.

  • Alopecia mecânica

Alopecia mecânica

Mecânica é a perda temporária (ou definitiva) dos fios resultante do uso de produtos químicos para tratamento estético como por exemplo: uso de tinturas, temperaturas extremas, alongamentos e alisamentos.

  • Alopecia traumática

Alopecia traumática

Este tipo é quando ocorre a perda acentuada dos fios após um episódio de infecção ou pós cirúrgico.

  • Alopecia seborreica

Alopecia seborreica

Este tipo geralmente inicia nas laterais da cabeça e é bem mais comum entre os homens.

  • Alopecia total

Alopecia total

Como o nome já sugere, é a perda total dos fios. É mais comum nas causas genéticas e nas emocionais (traumas e estresse).

  • Alopecia universal

Alopecia universal

É uma continuidade da alopecia total, porem num estágio mais grave. Além de perder os fios capilares a pessoa perde os pelos do corpo todo, incluído cílios, sobrancelhas e pelos pubianos.

  • Alopecia cicatricial

Alopecia cicatricial

É a perda permanente dos fios pois ocorre por queimaduras químicas, quimioterapias ou alguns tipos de doença como leishmaniose. Neste casos o couro cabeludo perde a capacidade de regeneração.

  • Alopecia difusa

Alopecia difusa

É o tipo que mais afeta as mulheres. Sua causa pode ser hormonal, por medicamentos ou má nutrição.

Como é feito o diagnóstico?

É muito simples para obter um diagnóstico. O médico especialista (dermatologista) através de um exame visual na área afetada, de acordo com a aparência e com as informações que serão fornecidas por você, poderá dar um diagnóstico correto.

Em alguns casos poderá ser necessário um biopsia da pele para descartar algumas possibilidades.

Causas da Alopecia

Como já dissemos as causas podem ser diversas. As mais comuns são:

  • Doenças como sífilis, hipertireoidismo, hipotireoidismo, lúpus, câncer entre outras.
  • Traumas, estresse, depressão.
  • Desequilíbrios hormonais como por exemplo pós parto.
  • Uso de alguns medicamentos.
  • Deficiência de vitaminas, zinco, biotina, proteínas e ferro que causam doenças como a anemia.
  • Infecções e doenças do couro cabeludo como dermatite seborreica.
  • Fatores genéticos.

Tratamentos para alopecia capilar

CapiFix

  • Alopecia Androgenética

Alopecia Androgenética

Alopecia Androgenética

É um tipo que resulta de uma condição hereditária ou seja é uma herança de família. Pode ocorrer nas mulheres mas é bem mais comum entre os homens, chega a atingir 70% dos homens.

  • Alopecia Areata

Alopecia Areata

Alopecia Areata

É um tipo autoimune que atinge exclusivamente os folículos capilares, afetando a raiz. Pode atingir não somente o couro cabeludo como todas as partes do corpo que possuem pelos.

Geralmente este tipo surge em decorrência de doenças auto imune como diabetes, vitiligo, renites, lúpus, problemas na tireoide e outros.

  • Alopecia mecânica

Alopecia mecânica

Alopecia mecânica

Mecânica é a perda temporária (ou definitiva) dos fios resultante do uso de produtos químicos para tratamento estético como por exemplo: uso de tinturas, temperaturas extremas, alongamentos e alisamentos.

  • Alopecia traumática

Alopecia traumática

Alopecia traumática

Este tipo é quando ocorre a perda acentuada dos fios após um episódio de infecção ou pós cirúrgico.

  • Alopecia seborreica

Alopecia seborreica

Alopecia seborreica

Este tipo geralmente inicia nas laterais da cabeça e é bem mais comum entre os homens.

  • Alopecia total

Alopecia total

Alopecia total

Como o nome já sugere, é a perda total dos fios. É mais comum nas causas genéticas e nas emocionais (traumas e estresse).

  • Alopecia universal

Alopecia universal

Alopecia universal

É uma continuidade da alopecia total, porem num estágio mais grave. Além de perder os fios capilares a pessoa perde os pelos do corpo todo, incluído cílios, sobrancelhas e pelos pubianos.

  • Alopecia cicatricial

Alopecia cicatricial

Alopecia cicatricial

É a perda permanente dos fios pois ocorre por queimaduras químicas, quimioterapias ou alguns tipos de doença como leishmaniose. Neste casos o couro cabeludo perde a capacidade de regeneração.

  • Alopecia difusa

Alopecia difusa

Alopecia difusa

É o tipo que mais afeta as mulheres. Sua causa pode ser hormonal, por medicamentos ou má nutrição.

Como é feito o diagnóstico?

É muito simples para obter um diagnóstico. O médico especialista (dermatologista) através de um exame visual na área afetada, de acordo com a aparência e com as informações que serão fornecidas por você, poderá dar um diagnóstico correto.

Em alguns casos poderá ser necessário um biopsia da pele para descartar algumas possibilidades.

Causas da Alopecia

Como já dissemos as causas podem ser diversas. As mais comuns são:

  • Doenças como sífilis, hipertireoidismo, hipotireoidismo, lúpus, câncer entre outras.
  • Traumas, estresse, depressão.
  • Desequilíbrios hormonais como por exemplo pós parto.
  • Uso de alguns medicamentos.
  • Deficiência de vitaminas, zinco, biotina, proteínas e ferro que causam doenças como a anemia.
  • Infecções e doenças do couro cabeludo como dermatite seborreica.
  • Fatores genéticos.

Tratamentos para alopecia capilar

CapiFix

Alopecia Androgenética

Alopecia Androgenética

É um tipo que resulta de uma condição hereditária ou seja é uma herança de família. Pode ocorrer nas mulheres mas é bem mais comum entre os homens, chega a atingir 70% dos homens.

Alopecia Areata

Alopecia Areata

É um tipo autoimune que atinge exclusivamente os folículos capilares, afetando a raiz. Pode atingir não somente o couro cabeludo como todas as partes do corpo que possuem pelos.

Geralmente este tipo surge em decorrência de doenças auto imune como diabetes, vitiligo, renites, lúpus, problemas na tireoide e outros.

Alopecia mecânica

Alopecia mecânica

Mecânica é a perda temporária (ou definitiva) dos fios resultante do uso de produtos químicos para tratamento estético como por exemplo: uso de tinturas, temperaturas extremas, alongamentos e alisamentos.

Alopecia traumática

Alopecia traumática

Este tipo é quando ocorre a perda acentuada dos fios após um episódio de infecção ou pós cirúrgico.

Alopecia seborreica

Alopecia seborreica

Este tipo geralmente inicia nas laterais da cabeça e é bem mais comum entre os homens.

Alopecia total

Alopecia total

Como o nome já sugere, é a perda total dos fios. É mais comum nas causas genéticas e nas emocionais (traumas e estresse).

Alopecia universal

Alopecia universal

É uma continuidade da alopecia total, porem num estágio mais grave. Além de perder os fios capilares a pessoa perde os pelos do corpo todo, incluído cílios, sobrancelhas e pelos pubianos.

Alopecia cicatricial

Alopecia cicatricial

É a perda permanente dos fios pois ocorre por queimaduras químicas, quimioterapias ou alguns tipos de doença como leishmaniose. Neste casos o couro cabeludo perde a capacidade de regeneração.

Alopecia difusa

Alopecia difusa

É o tipo que mais afeta as mulheres. Sua causa pode ser hormonal, por medicamentos ou má nutrição.

Como é feito o diagnóstico?

É muito simples para obter um diagnóstico. O médico especialista (dermatologista) através de um exame visual na área afetada, de acordo com a aparência e com as informações que serão fornecidas por você, poderá dar um diagnóstico correto.

Em alguns casos poderá ser necessário um biopsia da pele para descartar algumas possibilidades.

Causas da Alopecia

Como já dissemos as causas podem ser diversas. As mais comuns são:

Tratamentos para alopecia capilar

CapiFix

Como já dissemos o tratamento depende da causa. Por isso é aconselhável buscar orientação de um médico, pois de acordo com a causa será o tratamento indicado.

Atualmente muito tem sido investido em pesquisas nesta área e com auxílio da tecnologia muitos tratamentos estão surgindo aumentando as chances de reverter alguns casos de alopecia.

As opções de tratamentos são: medicamentos de uso tópico (loções, shampoos), remédios naturais a base de ervas, medicamentos de uso oral, injetáveis (corticoides), intradermoterapia, carboxiterapia e implantes.

Os tratamentos para alopecia tem como finalidade prevenir, reduzir as falhas e evitar que outra apareçam. Os tratamentos devem estimular os folículos capilares para produzir novos fios até que as falhas sejam corrigidas e a doença curada.

Seja qual for o seu caso, evite a automedicação e quando optar por algum procedimento procure um profissional de confiança que seja habilitado para a pratica.

Existem muitas opções de tratamento para recuperar a beleza e a saúde dos seus cabelos. Os métodos utilizados vão depender principalmente das causas, do estágio e do tipo de alopecia que você está enfrentando.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre a alopecia capilar, seus tipos e causas!

Você também pode se interessar: CapiFix resenha? O Novo Sucesso do mercado da saúde chega no Brasil: reclame aqui CapiFix encapsulado natural que vem auxiliando muitos clientes em todo continente europeu na cura da alopecia areata.

Falta de vitamina D – Consequências e Como Repor

A vitamina D (calciferol) é uma vitamina lipossolúvel indispensável para organismo humano. Entre suas principais funções estão a fixação do cálcio nos ossos, prevenção de doenças cardíacas, fortalecimento do sistema imunológico, manutenção do peso e até manutenção da saúde mental. A falta de vitamina D no organismo é considerada quando o seu exame de sangue (exame 25(OH)D) detectou níveis de vitamina D abaixo de 30 ng/ml. Os sintomas também podem ajudar no diagnóstico da falta desse mineral. Eles aparecem quando se ingere menos vitamina do que o necessário para o organismo, e então é preciso comer alimentos ricos em vitamina D, ou ainda suplementos de vitamina D.

A ausência da vitamina D é comum principalmente para pessoas que vivem em locais em que o sol não aparece muito. Afinal, a exposição ao sol é essencial para que a vitamina se fixe no organismo. Acredita-se que de 80% a 90% do que recebemos de vitamina D no organismo provém dos raios UVB. Quando se expor à luz solar não é uma possibilidade, o tratamento da deficiência de vitamina D  pode ser feito com suplementação. Confira aqui o que o seu nível de calciferol significa e como suprir esta falta.

Qual é o nível ideal de vitamina D no organismo?

De  10 e 20 ng/mL

Você está deficiente de vitamina D. Se tiver pele negra, provavelmente, é porque não está se expondo ao sol como deveria, afinal, a melanina ajuda a inibir a penetração de raios UVB, procure passar mais tempo ao sol e procure um médico para te ajudar na suplementação correta de acordo com as especificidades do seu organismo. O déficit de vitamina é bastante recorrente em peles escuras, devido à dificuldade de absorção dos raios solares.

Níveis de vitamina D nessa faixa o deixam propício a desenvolver câncer de pele e risco de fraturas nos ossos com facilidade, principalmente, em idades mais avançadas. Você também já pode ter notado dificuldades de equilíbrio, um dos sintomas da falta extrema da vitamina D no organismo. Bem como o desânimo e cansaço.

De 20 a 30 ng/mL

Você tem doses baixas de vitamina D no organismo e ainda é considerado deficiência da vitamina. É preciso aumentar a dose diária de suplementação, seja nos alimentos, na exposição ao sol ou artificialmente por meio de remédios manipulados. Se você é caucasiano ou norte-americano é mais provável de ter níveis de vitamina D nessa faixa. Isso porque pela falta de exposição ao sol, eles acabam com menos vitamina D no organismo.

Com esse nível de vitamina D você está propenso a ter problemas de saúde em níveis mais baixos, como osteopenia ao invés de osteoporose, afinal a absorção de cálcio do seu organismo ainda é fraca, no entanto a possibilidade de fraturas já pode ser descartada. Caso tenha tendência a diabetes a falta de vitamina D pode dar esse empurrão para que você desenvolva a doença de uma vez. Por isso, invista em alimentos fortificados para suprir a deficiência da vitamina.

De 30 a 40 ng/mL

Este é o nível normal de vitamina D no sangue, significa que você tem a o mineral de forma suficiente e está melhor do que a maioria da população. Pessoas que moram em países tropicais tendem a ter níveis mais adequados dessa substância.

Se você se enquadra nesse caso as notícias são boas, pois o seu corpo está muito mais protegido contra doenças cardíacas, dos ossos, tem maior capacidade de controle de peso, colesterol e provavelmente em sua velhice terá uma saúde mental boa. Não é necessário nenhum tipo de suplementação, mas não deixe de se expor ao sol e nem comer alimentos ricos em vitamina D para manter suas taxas de minerais bem equilibradas e sem perdas.

Para manter bons níveis de vitamina D no sangue, diariamente é preciso de 5 microgramas por dia da vitamina e garantir ao menos 15 minutos de exposição à luz solar para que seja o suficiente de vitamina sendo produzida no seu corpo. Mesmo que coma direito, se não se expor ao sol, a vitamina D não se forma. Fontes de vitamina em alimentos também não devem ser descartadas.

De 40 a 50 ng/mL

Parabéns, seus níveis de vitamina D no sangue são muito além da média da população e você não tem zero de riscos de desenvolver doenças nos ossos ou riscos de fratura. Seu equilíbrio promete ser muito bom e a saúde mental igualmente. Se mantiver nesses níveis significa que você tem condições que te auxiliam a isso, como por exemplo, morar na linha do equador, em que a exposição ao sol é muito maior.

Esse nível de vitamina D no sangue também auxilia no controle hormonal, principalmente no da tireoide, prevenindo doenças cardíacas e do fígado. A redução de chances de câncer também já foi associada ao alto nível de vitamina D no sangue.

De 100 a 150 ng/mL

Sua taxa de vitamina D no sangue é considerada muito alta, e embora não considerada toxica precisa ser abaixada seja evitando o sol ou diminuindo o consumo de alimentos ricos na vitamina. Essa condição não é comum e pode gerar aumento dos batimentos cardíacos entre outros problemas no organismo. A consulta médica é essencial para bolar uma estratégia de reduzir os níveis para dentro da normalidade (Entre 30 a 50 ng/mL)

Sintomas da falta de vitamina D e suas principais consequências

Os sintomas também ajudam a diagnosticar a deficiência de vitamina D no organismo. No entanto também podem ser consequências da falta do mineral permanentes de um problema que foi relegado:

  • Diminuição do cálcio e do fósforo no sangue;
  • Dor e fraqueza muscular;
  • Enfraquecimento dos ossos;
  • Osteoporose nos idosos;
  • Raquitismo nas crianças;
  • Osteomalácea;
  • Mau desenvolvimento psicológico nas crianças;
  • Crescimento tardio em crianças;
  • Falta de equilíbrio;
  • Doenças cardíacas, como hipertensão;
  • Alterações de peso;
  • Dificuldades de memorizar e raciocinar;
  • Ineficiência do sistema imunológico;
  • Desenvolvimento de diabetes tipo 2;
  • Alterações do nível de açúcar no sangue.

Como repor a vitamina D

A carência da vitamina D em nosso organismo pode ser reposta com 200 mg para crianças e para adultos 600 mg. Um simples exame de sangue de rotina basta para verificar se a quantidade de vitamina está de acordo com o volume necessário.

Caso seu organismo esteja carente dessa substância, é possível fazer a reposição da vitamina por duas formas:

1-Exposição ao sol

Para isso é necessário ficar no sol ao menos 60 minutos na semana sem uso de bloqueadores solares ou filtros. Essa exposição deve acontecer entre as 10h e 15h quando as radiações são nocivas ao ser humano. Recomendado pelos médicos, entre 15h às 18h. Pessoas de pele negra devem aumentar o tempo de exposição para 1 hora.

Isso é indicado pelos médicos porque a vitamina D é ativada no intestino através dos raios solares, caso a pessoa não exponha muito ao sol a substância é eliminada através das fezes sem antes ter sido absorvida pela parede intestinal.

2- Medicamentos manipulados

Outra forma de repor a vitamina D é por ingestão em gotas ou cápsulas (remédios manipulados que podem ser comprados em farmácias) ou através da alimentação. O mais recomendado para quem tem a deficiência é recorrer as vitaminas em gotas, já que é muito difícil conseguir repor as doses necessárias somente através da alimentação. Ainda assim, para ativar a substância ingerida o sol continua essencial.

Na forma de gotas, que é o mais usado, cada gota contém 200 UI (unidade internacional). Então se você é adulto, deve tomar de 3 a 4 gotas para repor o nutriente. Lembre-se de fazer o consumo de medicamentos apenas sob orientação médica.

3 Consumir alimentos ricos em vitamina D

Via alimentação é possível repor através de peixes. Os mais ricos em vitamina D são a sardinha e atum, também encontramos no óleo de fígado de bacalhau. Alguém se lembra de ter já tomado aquele óleo de Rícino? Se sim, é bem provável não deve ter sido uma experiência agradável. Apesar do gosto, ele é uma excelente fonte de vitamina D entre outros nutrientes. Outros alimentos que são fontes da vitamina são:

  • Leite;
  • Manteiga;
  • Figado de galinha;
  • Peixes gordurosos, como o salmão;
  • Frutos do mar;
  • Mariscos;
  • Ovos cozidos.

Confira aqui para que sirva a vitamina D3 e entenda melhor suas funções.

LightMax 30 Funciona, Veja Nossa Avaliação!

Já pensou em pagar a conta de luz de forma justa, conforme você realmente utilizou? Sim, porque diversos eletros e eletrônicos de sua residência ficam aquecidos mais do que o necessário, fazendo com que a fatura aumente de maneira inadequada. Isso acontece porque a rede elétrica possui algumas falhas, que ocasionam na fuga de energia.

 lightmax 30

Aqui falaremos sobre um equipamento revolucionário que irá acabar com as cobranças indevidas na conta da energia elétrica, o LightMax 30. O aparelho poderá reduzir pela metade a conta de energia elétrica em sua residência e possui um preço acessível. O equipamento é legal e possui fácil instalação. Continue lendo e saiba mais.

O que é LightMax 30?

LightMax 30 é um sistema que foi desenvolvido para acabar com o consumo de energia elétrica de maneira errada. Em muitas casas as pessoas acabam gastando bem mais no pagamento da fatura, sendo que na verdade nem utilizaram energia para isso. Essa condição acontece devido ao chamado vazamento de energia, que é corrido pelo aparelho.

Aumento na conta de energia

O Brasil possui duas das maiores hidrelétricas do mundo, mesmo assim a energia produzida no país não chega com qualidade a todos os consumidores. Outro problema são as torres de transmissão. Além disso, são comuns oscilações na corrente elétrica, aumentando o consumo em cada residência.

 lightmax 30 review

Com isso, em alguns meses a bandeira muda, fazendo com que a tarifa de energia seja ainda mais cara. Já na sua residência, muitas vezes o consumo é maior pelo fato de uma má distribuição ou causada pelo sobreaquecimento. Assim sendo, o LightMax 30 irá acabar com este problema e possibilitar economia a cada mês.

Como instalar o LightMax 30?

Sabe aqueles equipamentos que possuem um manual imenso para fazer a sua instalação? Esqueça isso, já que com o LightMax 30 não é assim. Todas as instruções para colocar o equipamento em funcionamento estão na caixa de embalagem do produto. Basicamente basta desembrulhar o LightMax 30 e plugar na tomada, assim ele já estará cumprindo a sua função e economizando energia elétrica na sua residência.

Onde posso utilizar o LightMax 30?

O LightMax 30 é um equipamento de fácil transporte e de fácil instalação, assim sendo, poderá ser levado para diferentes ambientes com tranquilidade, como para a casa de praia que você passa alguns dias do ano. O LightMax 30 também foi desenvolvido para ser utilizado em empresas. É importante ficar atento ao tamanho do ambiente, para utilizar a quantidade indicada de unidade do equipamento.

 lightmax 30 review

LightMax 30 funciona mesmo?

Milhares de pessoas já compraram o LightMax 30 e puderam acompanhar uma queda acentuada no consumo de energia elétrica. Além de funcionar corretamente conforme o indicado pela empresa, não possui nenhuma regulamentação que impeça ou dificulte a utilização do equipamento. Geralmente quem compra acaba indicando o sistema para outras pessoas.

LightMax 30 é legal?

Por incrível que pareça, uma tecnologia como esta, que de certa forma prejudica as empresas de energia elétrica é totalmente legal. A Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL, não possui nenhuma regulamentação que restrinja a utilização de equipamentos como este. O LightMax 30 apenas faz com que equipamentos de sua residência tenham um melhor consumo.

 lightmax 30 review

O LightMax 30 também não é considerado gato, pois, não infringe nenhuma regra do compartilhamento de energia. O sistema não possui relação com a ligação oficial entre os postes e o relógio do consumidor. Seu funcionamento é interno e controlado apenas pelo proprietário. Com tudo isso, não existe possibilidade de ser considerado crime ou algo do tipo.

<< Site Oficial + Cupom 57 % OFF >>

Depoimentos de quem já usou o LightMax 30

Devo comprar o LightMax 30?

O LightMax 30 é um equipamento com ótimo custo benefício, trazendo o dinheiro de volta em pouco tempo. É indicado para as pessoas que estão passando por problemas na conta de energia elétrica e pagam mensalmente um valor considerado alto. Recomendado principalmente para as famílias que viram sua fatura aumentar de maneira suspeita. Tem dúvida sobre a funcionalidade do LightMax 30? Nós garantimos: LightMax 30 funciona.

Como o equipamento funciona?

É comum que a energia elétrica no Brasil apresente picos de altos e baixos, isso acontece devido a rede de transmissão em muitos casos ser antiga e não compactuar com o cenário atual que exige maior força. Assim sendo, o LightMax 30 funciona como um estabilizador, evitando que esta condição leve ao aumento do consumo mensal.

Vantagens do LightMax 30

Uma das principais vantagens do equipamento, além é claro de reduzir a conta de energia elétrica, é aumentar a vida útil de bens materiais. Ele faz com que eletros e eletrônicos não fiquem aquecidos de maneira errada, o que pode levar a danificação ou redução do tempo de sua utilidade.

 lightmax 30 review

Qual o tempo para eu ter retorno?

Essa questão é complicada de responder. Nem todas as residências possuem um desperdício igual na questão de energia elétrica. Outro fator determinante é o valor pago mensalmente na conta da luz, se for baixo, demora mais para que a aquisição do LightMax 30 valha a pena. Em condições onde a conta é alta, o dinheiro poderá ser recuperado em dois ou três meses de uso.

Onde comprar LightMax 30?

Atualmente o LightMax 30 é vendido exclusivamente pela internet. No início chegou a ser comercializado em lojas físicas, mas o estoque acaba de maneira muito rápida, de forma que tornasse mais fácil a venda pela internet com entrega em domicilio. O revendedor garante entrega gratuita em qualquer parte do território nacional, a compra também é totalmente segura.

<< Site Oficial + Desconto >>

Quanto custa o LightMax 30?

Antes de comprar o LightMax 30 é preciso ter em mente qual o tamanho de sua residência, já que existem três pacotes, que são vendidos conforme a necessidade do cliente. Para quem tem uma casa com até 100 m², deverá comprar uma unidade, que sai por R$ 190, até 200 m², o valor é R$ 297 e com direito a três unidades, já para casas com até 300 m², o preço é R$ 397, com cinco unidades.

É possível pagar em até 12 vezes no cartão, para os kits com três e com cinco unidades e em até seis vezes para uma unidade. São aceitas as principais bandeiras de cartões de crédito, além de boleto bancário.

 

<< Comprar + Site Oficial >>